top of page

X FESTIVAL DE DANÇA ITACARÉ ABRE INSCRIÇÕES PARA OFICINAS-ESPETÁCULO E MONITORIA

Atualizado: 4 de out. de 2022

Festival de Dança Itacaré


O X Festival de Dança Itacaré abre inscrições para oficinas-espetáculo gratuitas e para interessados em serem monitores desta edição, que acontecerá de 05 a 11 de novembro, em Ilhéus e Itacaré. De volta à modalidade presencial, o evento realizará três atividades formativas, oferecendo 68 vagas gratuitas, além de agregar oito monitores que apoiarão a produção das atividades. Para garantir a participação, é necessário se inscrever no site https://festivaldedancaitacare.com.br/ANO-X/ até dia 08 de outubro de 2022.


Foto: Acervo do Festival de Dança Itacaré

Três oficinas-espetáculo

A Oficina Espetáculo “Estrutura – Espaço em Processo (s)”, que será facilitada artista e professora da Escola de Dança da UFBA, Bel Souza, propõe um misto de oficina e residência, no qual um grupo de artistas – atores, dançarinos, performers, músicos, VJs, artistas visuais – ocupa um espaço da cidade, culminando na apresentação de uma instalação performática, livremente inspirada nos happenings da década de 1960. São disponibilizadas 20 vagas e a participação está sujeita a seleção prévia. A atividade acontecerá de 31 outubro a 06 de novembro, das 18h30 às 21h30, no Espaço Cultural – Terreiro Matamba Tombenci Neto/Gongombira, em Ilhéus.

Já “Barricada”, a oficina-espetáculo com Marcelo Evelin, da Demolition Incorporada, será uma prática coletiva que propõe pensar proximidade como estratégia de defesa e o estar juntos como uma posição política, por meio de coreografias que remontam às táticas populares de insurreição que surgiram no século XVI. Não é necessário ter experiência em dança para participar. Trinta participantes estarão presentes na atividade que acontecerá de 06 a 11 de novembro, das 14h às 18h, no Centro Cultural Porto de Trás, em Itacaré.

O Núcleo da Tribo facilitará a oficina - espetáculo “Da totalidade ao vamos pra costa?”, na qual será promovida a criação de experiências corporais que dialoguem e experimentem a ação de pesca no litoral do sul da Bahia. A oficina será realizada de 07 a 10 de novembro, das 9h às 12h, na Praia da Concha, em Itacaré. Serão 18 vagas, sujeitas a seleção prévia.


Monitoria do evento

Os interessados em concorrer às oito vagas para monitores - responsáveis por apoiar a produção e a assessoria de comunicação, além de acompanharem as atividades do evento - terão a experiência de conhecer as etapas de produção do Festival e atuar em diferentes atividades. Ao fim, receberão certificado de participação. Para os selecionados que não residirem em Itacaré, a produção do Festival oferecerá hospedagem e ajuda de custo na alimentação.

O resultado das inscrições para estas atividades será divulgado no dia 10 de outubro de 2022, no site do Festival. O evento é uma realização da Associação Comunidade Tia Marita, apoio institucional da Casa Ver Arte e apoio financeiro do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda. Acompanhe as redes sociais @festivaldedancaitacare.



Sobre os facilitadores


Bel Souza - Professora Assistente da Escola de Dança da Universidade Federal da Bahia. Artista, professora, pesquisadora, produtora e gestora de projetos. Participou da elaboração e implementação do curso de Licenciatura em Dança EAD da UFBA, atuando como coordenadora do Colegiado durante cinco anos e professora. Mestre (2009) e licenciada (2004) em Dança pela mesma instituição. Candomblecista, desenvolve pesquisa de Doutorado no Programa de Pós-graduação em Dança da UFBA com enfoque na análise cinesiológica das danças de Iemanjá do candomblé Ketu.

Marcelo Evelin - Bailarino, coreógrafo e pesquisador. Vive entre Teresina e Amsterdam e trabalha no Brasil, Japão e em vários países da Europa como artista independente à frente da Plataforma Demolition Incorporada, baseada no CAMPO, um espaço de Residência e Resistência das Artes Performáticas em Teresina, no Piaui. Seus espetáculos “De Repente Fica Tudo Preto de Gente”, “Batucada” e “A Invenção da Maldade” circulam atualmente por teatros e festivais do mundo. Ensina na Escola Superior de Artes de Amsterdam desde 1999 e vem criando projetos junto a Universidades e cursos de mestrado, entre eles ISAC (Bruxelas), Museu Reina Sofia (Madri), EXERCE (Montpellier) e CND (Paris). Em 2019 recebeu o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal do Piauí. Em 2020 criou "And Yes, I sad Yes, I will Yes" para Coroline Eckly/Companhia Carte Blanche (Bergen,Noruega), “Drama” para La Manufacture (Lausanne, Suíça), “La Nuit Tombe Quand Elle Veut” (Rennes, França) em colaboração com Latifa Laabissi, e reapresentou seu solo "ai, ai, ai" (1995) no Festival d'Automne em Paris. Em 2022 recriou o acontecimento performático BARRICADA para o Festival Transborda (Almada, Portugal) e estreou UIRAPURU a mais recente criação da Plataforma Demolition Incorporada.

Núcleo da Tribo - Desenvolve há 18 anos um trabalho sociocultural no bairro do Porto de Trás – Quilombo Urbano e é composto pelos capoeiristas-dançarinos Arionilson Xixito, Miquiba Cruz e Valmilson Pericles Nascimento. Em 2008 o grupo começou estudos ligados ao diálogo com a dança contemporânea, através de espetáculos e intervenções urbanas. Essas pesquisas tiveram início exatamente com Verusya Correia, doutoranda e Mestre do Programa de Pós-Graduação em Dança da UFBA. Tem em sua investigação a relação entre o ambiente, dança, corpo e ativismo político. O Núcleo da Tribo compõe a curadoria do Festival de Dança Itacaré.

Comentarios


bottom of page