NEM PENSE EM ME CALAR (POESIA)

Natália Silva


Nem pense em me calar!

NÃO! Eu não aceito!

Vocês não percebem que eu sou várias

Nem pense em me calar!

Tantas dirão em meu nome

Deixem as filhas de Dandara viver

As pretas farão o chão estremecer

Não mais, não nós calarão

Meu punho se ergue com minhas irmãs

É chegada a hora da batalha

Lingua afiada feito navalha

Estamos em todos os lugares

Não finja que não nos vê

Eu grito e vejo como o fogo se espalha

VOCÊS NÃO VÃO NOS APRISIONAR!

A solidão que nos assola, nos une

Hoje, amanhã, não mais iremos morrer

Mesmo quando a garganta engasga

E a dor nos invade

A nossa revolta que nos salva

Vocês nem tentem nos calar!

Eu tô correndo em contramão

Não vai ser em beco, nem viela

Nenhuma rua da minha favela

Que virão enquadrar

Levamos em mão nossa espada de São Jorge

E Deus permita nos vingar

De toda dor e mal intenção

Vocês nem tentem nos calar!


Mulheres em ato pela elucidação do caso do assassinato de Marielle Franco, 2019. Foto: Reuters/Sergio Moraes


Natália Silva, codinome n4tiroots, é professora de Ciências e também artista. Poetisa fortalecendo o Coletivo Cabulosas e o Coletivo Omi, suas produções destacam o feminismo negro, a solidão da mulher preta e a forças dessas mulheres nas revoltas baianas. Atriz de teatro experimental e produtora de eventos, se uniu às possibilidades místicas e ferramentas políticas que a arte inspira quando começou a ser militante do Levante Popular da Juventude Bahia.